terça-feira, 13 de outubro de 2009

Fim do show

Atrás do palco as luzes se apagam. Os olhos ofuscados adaptam-se novamente aos reflexos da vida que passam lentamente projetados na cortina fechada.
Atrás do palco o sorriso se perde no eco das gargalhadas abafadas da multidão que se dissipa sem importar-se com quem fica.
Atrás do palco toda a graça se perde, e cada gesto delicado transforma-se lentamente num real lampejo da brutalidade dos movimentos.
Atrás do palco toda lágrima seca, e lá não há gentilezas que façam valer a pena todo o caminho de um ombro de consolo.
Atrás do palco todas as personagens morrem e suas lutas e aspirações escorrem pelo ralo das águas descartáveis da incredulidade.
Atrás do palco os ombros caem e toda a dúvida cresce no compasso dos passos amargurados dos sem destino, sem porto seguro.
Atrás do palco a cabeça se abaixa por não ter o que encarar no vazio do silêncio escuro.

3 comentários:

Toni D'Agostinho disse...

O texto é ótimo.
Parabéns!

Nicolau disse...

Sensacional!

Mah disse...

muito bom.gosto de palcos.